Comportamentos no Trânsito

alarm Tempo de estudo: 30 minutos

Como o tópico Comportamentos no Trânsito costuma ser cobrado na prova do DETRAN?

Como ter um comportamento seguro no trânsito?

O condutor que dirige com segurança segue as regras básicas:

Regra básica

Como agir

Mantenha distância

Quando as condições de tráfego forem desfavoráveis, aumente a distância do veículo à sua frente.

Freie com antecedência

Ao ver a luz do freio do veículo à sua frente, apoie o pé no pedal do freio.

Esteja atento

Fique alerta e observe os sinais de luz de freio, seta, veículos à frente e próximos ao seu carro.

Controle a situação

Antecipe os acontecimentos, preveja situações que possam fazer com que o veículo da frente pare de repente. Observe também a distância dos veículos de trás e ao seu lado para tomar a decisão mais adequada em caso de emergência.

Quais são os tipos de atenção?

Na direção de um veículo, o condutor pode ter 3 tipos de atenção:

Atenção fixa

Atenção dispersa

Atenção difusa

É quando o condutor fixa a atenção em um único ponto. 

Ele fica atento à frente do carro, mas se esquece das laterais, retaguarda e indicações do painel, por isso é uma conduta errada.

É quando o condutor está disperso, sem ter foco na direção do veículo e no seu entorno. 

Falar no celular, comer ou conversar demais com os passageiros enquanto dirige são exemplos de atenção dispersiva.

A postura dispersa do motorista pode causar acidentes graves.

É a atenção que deve ser adotada por todos os condutores.

Nela, o motorista dirige na posição correta no banco, tem uma visão privilegiada de todos os pontos do veículo, movimenta a cabeça para eliminar os pontos cegos do veículo.

Dica para não errar Dica para não errar

NUNCA, em nenhuma situação, a atenção fixa deve ser usada.

Entenda e guarde bem essa recomendação, pois na sua prova pode aparecer uma questão assim:

Você está conduzindo o seu veículo e percebe que alguém à frente dirige de forma perigosa. Qual deve ser a sua postura em relação a esse condutor que dirige de forma perigosa? Entre as alternativas está a seguinte opção:

"Não tire os olhos dele, pois ele representa um alto risco, para você e para o trânsito".

Esta alternativa está ERRADA, pois “não tire os olhos dele” é um exemplo de atenção fixa, que é uma conduta indevida.  

O que é ponto cego?

A visão do ser humano é limitada. Por isso, é fundamental para a segurança no trânsito ver e ser visto.

Os retrovisores ampliam o campo de visão e ajudam os condutores a observarem as laterais e retaguarda do carro, mas não cobrem todos os pontos ao seu redor.

As colunas do veículo, por exemplo, cobrem parte da visão do motorista e podem esconder uma motocicleta ou bicicleta.

Estes pontos que não são possíveis de serem vistos pelos retrovisores são chamados de PONTOS CEGOS 

Para evitá-los, antes de fazer qualquer manobra de mudança de faixa, conversão ou ultrapassagem, o condutor deve:

  1. Primeiramente olhar nos retrovisores.

  2. Em seguida, movimentar o corpo e a cabeça para ampliar o campo de visão e ter certeza de que o caminho está livre.

O que é imperícia, imprudência e negligência e por que estão entre as principais causas de acidente?

As causas dos acidentes de trânsito estão relacionadas a:

  • Falhas mecânicas do veículo

  • Erros humanos

  • Problemas nas condições da via

As falhas humanas são responsáveis por 90% dos acidentes e podem ser classificadas em 3 tipos de atitudes geradoras: imperícia, imprudência e negligência.

ImperíciaImprudênciaNegligência

A imperícia é a falta de habilidade, falta de treinamento, domínio com o veículo.

Exemplo: esbarrar no carro de trás ao tentar fazer uma baliza.

A imprudência está relacionada a um ato inseguro praticado pelo condutor. Tem a ver com o desrespeito às normas e à legislação.

Exemplo: avançar o sinal vermelho.

A negligência é a indiferença do condutor diante de uma condição adversa, que pode estar relacionada a um descuido com a manutenção do veículo ou a perigos do ambiente.

Exemplo: esquecer de verificar se os pneus estão em boas condições.

O que é tempo de reação, de frenagem e parada?

Tempo de reaçãoTempo de frenagemTempo de parada
É o tempo transcorrido entre o momento que o condutor vê uma situação de perigo e toma a providência devida para evitá-lo, como pisar no pedal do freio.É o tempo transcorrido entre o acionamento do sistema de freios pelo condutor e a imobilização total do veículo. Ele varia conforme a velocidade do veículo.É o tempo total entre a percepção do perigo pelo condutor até o veículo parar completamente, ou seja, é o resultado da soma do tempo de reação + o tempo de frenagem.

Tempo de parada = tempo de reação + tempo de frenagem.

Quais são as distâncias para parar o veículo com segurança?

Com base nos conceitos de tempo de reação, frenagem e parada, são estabelecidas as seguintes distâncias:

Distância de reação  

Distância de frenagem

Distância de parada
É a distância percorrida pelo veículo entre o momento que o condutor vê o perigo e pisa no freio.É aquela que o veículo percorre depois que o condutor aciona o freio até o instante da imobilização total do veículo.

É a distância total percorrida entre o momento em que o condutor percebe a situação de perigo até a parada completa do veículo. Portanto, é o resultado da soma da distância de reação + a distância de frenagem.

As distâncias variam conforme a velocidade do veículo. Quanto mais alta a velocidade, maior serão as distâncias percorridas durante o tempo de reação e de frenagem.  

distancia de parada carro

A Direção Defensiva recomenda ao condutor que mantenha uma distância de segurança do veículo da frente para que ele tenha tempo e distância suficientes para imobilizar o seu carro, sem o perigo de colidir com o da frente.

Essa distância de segurança é chamada de distância de seguimento, e como regra ela deve ser de 2 segundos. Ela deve ser aplicada especialmente em rodovias, onde os veículos atingem velocidades mais altas.

Como regra, a distância de seguimento deve ser de 2 segundos.

Por que a legislação é tão dura com condutores que estão sob o efeito de drogas e álcool?

O consumo de substâncias psicotrópicas (álcool e drogas) afeta o estado físico e mental das pessoas, prejudicando a capacidade de percepção e concepção da realidade.

Elas agem diretamente no sistema nervoso central, alterando o funcionamento cerebral e o comportamento das pessoas. É, por isso, que a legislação é tão severa para quem dirige estando sob o efeito de álcool ou drogas.

As substâncias psicotrópicas são classificadas em:

DepressorasEstimulantesPerturbadoras

Diminuem a atividade cerebral, deixando as pessoas sonolentas, desatentas e com dificuldade de concentração.


Exemplos: bebidas alcoólicas, tranquilizantes, calmantes e soníferos.

Aumentam a atividade cerebral, deixando as pessoas mais eufóricas, com pensamento acelerado e estado de vigília.


Exemplos: cocaína, anfetaminas (rebite), nicotina e cafeína.

Causam alucinações e ilusões, geralmente no campo visual das pessoas. Drogas alucinógenas não alteram o ritmo da atividade cerebral, mas fazem com que o cérebro funcione de forma alterada.


Exemplos: maconha, LSD e ecstasy.